Navegar para Cima
Logon

Dúvidas Frequentes

  • Confira as dúvidas frequentes abaixo.

    Abrir todas as respostas Fechar todas as respostas

    Posso transferir a minha cota de consórcio ?
    BENS MÓVEIS - Sim, basta solicitar através do nosso 0800 701 0212, lembrando que a cota não pode ter parcelas em atraso.
    Fui contemplado, como devo proceder ?
    BENS MÓVEIS - 1. Acesse: www.rodobens.com/consorcio. 2. Acesse: Área Exclusiva>Consorciado>Serviços>Análise de Crédito. 3. Digite seu usuário e senha (caso não tenha usuário e senha, clique em ""Esqueci minha senha""). 4. Digite o grupo e cota. 5. Confirme seus dados na ficha cadastral, acrescentando os dados que estiverem em branco e, alterando os que forem necessários. 6. Imprima seu cadastro e siga as instruções do site."
    É possível substituir o veiculo faturado para outro modelo ?
    BENS MOVEIS - Sim, lembrando que a cota não pode ter parcelas em atraso e, é necessária a análise e a aprovação do novo bem pela administradora. Você pode solicitar a análise, com os dados do novo veiculo (marca, modelo, ano e placa) através do email "analisedecredito@rodobens.com.br"
    Quando poderá ocorrer a devolução do crédito em espécie ?
    BENS MÓVEIS - A devolução do crédito em espécie poderá ocorrer após 180 dias da contemplação da cota, desde que a mesma esteja quitada.
    Quando se dá a liberação do veiculo dado em garantia ?
    BENS MÓVEIS - A Administradora está integrada ao Sistema Nacional de Gravames –SNG, que permite a desalienação automática do veiculo no Detran, após a quitação da cota. Prazo para liberação 10 dias após a quitação da cota.
    Quando o crédito será pago ao Revendedor ?
    BENS MÓVEIS - O pagamento do veiculo será efetuado após aprovação do cadastro e nas seguintes condições: Aquisição de veiculo 0km: Após o Recebimento da Nota Fiscal do veiculo e alienação no SNG (Sistema Nacional de Gravames). Aquisição de veiculo Usado de Pessoa Jurídica: Após o Recebimento da Nota Fiscal de Saída do veiculo, alienação no SNG (Sistema Nacional de Gravames) e emissão CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo) em nome do consorciado com a alienação à administradora. Aquisição de veiculo Usado de Pessoa Física: Após o Recebimento de cópia do RCV (Recibo de Compra e Venda) totalmente preenchido e reconhecido firma, alienação no SNG (Sistema Nacional de Gravames), e emissão CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo) em nome do consorciado com a alienação à administradora. Observação: Em qualquer um dos itens acima, os dados bancários do Revendedor deverá ser enviado anexo a documentação solicitada, inclusive com o nome e o telefone do vendedor para contato.
    O que acontece quando o valor do crédito é diferente do valor do veiculo?
    BENS MÓVEIS - Quando o valor do veiculo escolhido pelo consorciado para faturamento for menor do que o valor da carta de crédito, esta diferença poderá ser utilizada para quitação de parcelas a vencer, na ordem inversa do vencimento; ou ainda se preferir poderá utilizar para pagamento de seguro e documentação do veiculo até o limite de 10% do valor da carta de crédito. Quando o valor do veículo for maior do que a carta de crédito, a administradora pagará o valor da carta de crédito.
    Quais os documentos do kit cadastral que deverão ser assinados e ter o reconhecimento de firma do cliente e Devedor (es) solidário (se houver)?
    BENS MÓVEIS - O documento que precisa ser assinado e ter a firma reconhecida no processo é o : Contrato de Alienação: Deverá ser impresso em 3 vias e ter assinatura no campo consorciado e Depositário Fiel pelo “ Cliente” ; e o Devedor Solidário (se houver) assinar também em seu campo próprio. Observações: A Nota Promissória deverá ter apenas a assinatura dos envolvidos, não há necessidade do reconhecimento de firma. O Pedido de Faturamento, apenas o cliente assina e não será necessário o Reconhecimento de firma. A Ficha Cadastral: Cliente e Devedor (es) Solidário (se houver), deverá ter suas fichas cadastrais distintas, totalmente preenchidas e assinadas em campo próprio. Não é necessário o reconhecimento de firma.
    As negociações de furo ou prorrogadas podem ser diluídas ou rateadas nas parcelas vincendas?
    GESTÃO DE GRUPOS - Todas negociações devem ser pagas na contemplação.
    Todas as parcelas a vencer, inclusive furo, prorrogadas e atraso, podem ser abatidas do crédito contemplado (aplicado), para que a cota fique quitada e solicitar a devolução do crédito remanescente?
    GESTÃO DE GRUPOS - Quando for a ultima assembléia e a cota estiver em dia, conforme contrato, a transação pode ser feita.
    Lance Planos diferenciados:Forma de Cálculo: (Regra de Três Simples)
    GESTÃO DE GRUPOS - Como calcular: Oferta do lance em parcelas: 50 (x) Opção de pagamento em meses: 100 (/) Plano básico em meses: 120 (=) Resultado: "X" Exemplo: 50 x 100 = 5.000 5.000 / 120 = 41,6 (aproximaremos para 42 parcelas) OBS: Cliente que paga em um plano menor do que o plano original do grupo, a contribuição dele mensal através da parcela é maior, onde o % acumulado nas parcelas pagas até o momento da contemplação poderá ser abatido no lance, onde o calculo desse % é feito da seguinte forma: % parcelas pagas pelo cliente (-) % plano básico do grupo (=) "Resultado". "Resultado" (x) quantidade de parcelas pagas pelo cliente (não considerar se possuir alguma de forma antecipada) (=) ""Resultado". "Resultado" (/) % das parcelas pagas pelo cliente (=) "Resultado". "Resultado" (-) quantidade do lance a ser recebido (Ex.: 42 parcelas).
    Lance Parcelado
    GESTÃO DE GRUPOS - A divisão não é em valor exato, mas sim em número de parcelas. O valor de cada parcela tem que ser igual ou maior ao valor de uma prestação. Cliente ofertou o lance de 42 parcelas. 42 parcelas (/) por 4 (=) 10,5 parcelas; Então será emitido: 2 boletos de 11 parcelas + 2 boletos de 10 parcelas. Os boletos serão emitidos da seguinte forma: 1ª (referente a 11 parcelas), vencimento 05 dias após a liberação. Obs: demais parcelas nos vencimentos mensais: 2ª (referente a 11 parcelas) 3ª (referente a 10 parcelas) 4ª (referente a 10 parcelas) OBS: Os demais boletos (2ª, 3ª e 4ª) serão emitidos e enviados após a identificação do pagamento do primeiro boleto (1ª) e confirmação da contemplação em nosso sistema. Se o cliente não efetuar o pagamento de alguma das demais parcelas do lance (2ª, 3ª e 4ª), automaticamente a contemplação será cancelada e os valores pagos como lance serão contabilizados como forma de antecipação. Após o pagamento integral do lance, é disponibilizado o Kit Cadastral on line para o cliente.
    Lance com utilização de até 10% do crédito contemplado (aplicado)
    GESTÃO DE GRUPOS - Como calcular: Valor total do lance (-) 10% do valor do crédito na contemplação (=) valor a ser cobrado como lance. No exemplo abaixo, vamos considerar que o crédito na contemplação é R$ 100.000,00, neste caso 10% é R$ 10.000,00. Exemplo: R$ 27.846,79 (-) R$ 10.000,00 (=) R$ 17.846,79
    Lance com utilização do FGTS
    GESTÃO DE GRUPOS - Como calcular: Valor total do lance (-) valor que consta no extrato da CEF a deduzir (=) valor a ser cobrado como lance. No exemplo abaixo, vamos considerar que no extrato da CEF, o valor a deduzir é R$ 3.000,00. Exemplo: R$ 27.846,79 (-) R$ 3.000,00 (=) R$ 24.846,79"


Rodobens Administradora de Consórcios Ltda. | CNPJ: 51.855.716/0001-01 | IE: Isenta | Av. Murchid Homsi, 1404, Vila Diniz, São José do Rio Preto - SP, CEP 15013-000